quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

SE JOGUE NA FOLIA.. CARNAVAL É NO PARÁ!

Desfile das escolas de samba de belém- Foto Diário do Pará
A época mais animada do ano está chegando, e não faltam opções aos foliões para curtir o Carnaval no Pará. A capital Belém oferece dos famosos bloquinhos de rua que percorrem a Cidade Velha, aos desfiles de Escola de Samba que ocupam a Aldeia Cabana David Miguel e disputam o título do carnaval belenense, encantando cada vez mais por suas irreverentes inovações a cada ano.


Para quem gosta de correr atrás do Trio e se jogar atrás de uma Micareta, com direito a abadá e muita diversão, os municípios de Curuçá, Cametá e Vigia são os mais procurados pelos foliões.

Bloco Pretinhos do Mangue/ Curuçá - Foto Skyscraper
Em Curuçá 25 blocos carnavalescos fazem a alegria dos brincantes durante os 4 dias de folia. Conhecido nacional e internacionalmente, o bloco “Pretinhos do Mangue”, com 22 anos de existência e hoje patrimônio Cultural do Estado do Pará e do Município de Curuçá, representa um bloco ecológico, no qual a fantasia consiste em cobrir o corpo com lama dos manguezais da região.

Carnaval em Cametá -  Foto: Site G1.com
Cametá oferece várias manifestações carnavalescas, do chamado Fofó – que são os cordões promovidos pelas comunidades tradicionais -, aos blocos de trio com abadás nos quais trazem à cidade atrações nacionais. E no domingo de Carnaval, na Avenida Inácio Moura acontece o desfiles de Escolas de Samba da região.

Bloco "As Virgienses" / Vigia - Foto: Site ORM

O tradicional carnaval de Vigia que reuniu no último ano cerca de 30 mil foliões, possui dois blocos que concentram o maior número de brincantes. “As Virgienses” que há 30 anos leva homens vestidos de mulheres as ruas da cidade, e “Os Cabrasurdos”, que faz o inverso e veste as mulheres de homens. Com um verdadeiro desfile de fantasias bem planejadas, elaboradas e desenvolvidas justamente para a época, o município histórico é totalmente contagiado pela alegria do carnaval.

Carnaval em Vigia - Foto: Eunice Pinto/Agência Pará 
Marcado por sua originalidade, o Carnaval da Ilha de Colares possui uma temática ufológica baseada na “Operação Prato” (uma investigação militar mundialmente conhecida, realizada em 1977, para investigar o aparecimento e movimentação dos chamados OVNIs). Colares tem também as atrações do desfile da Escola de Samba da região, "Unidos de Colares". Além dos blocos: "Bloco do Et", "Bloco acorda", entre outros. Sendo assim, centenas de foliões percorrem as ruas fazendo a alegria dos moradores e visitantes.

Carnaval em Colares - Foto: Tarso Sarraf/ G1.com



Por Luana Cantanhede - Estagiária 

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

RETROSPECTIVA 2016: OS 10 LOCAIS MAIS VISITADOS NO PARÁ

O ano de 2016 acabou e preparamos uma retrospectiva com os 10 locais mais visitados no Pará. Eleito como preferência em destino para os turistas brasileiros no ano de 2017 através da pesquisa anual sobre as tendências de viagem do buscador "Skyscanner", a Obra-Prima da Amazônia dispõe de belíssimos locais à serem desvendados e usufruídos .

Para quem gosta de viajar e se conectar a natureza, o Pará oferece todos os tipos de experiências naturais. Com uma fauna e flora riquíssima, praias de água doce e salgada, igarapés, lagos, furos e cachoeira. Já para quem não abre mão da urbanização, a capital Belém, oferece Museus, centros históricos, pontos turísticos e praças, todos carregados de muito conteúdo histórico. Opção para todos os gostos, o Pará encanta quem passa, instiga o retorno e provoca curiosidade a quem ainda não o conhece.



Agora no início de 2017 comece a programar a sua vinda ao Pará!

SANTARÉM/ FOTO: FERNANDO SETTE 

ILHA DO COMBÚ/ FOTO: FERNANDO SETTE
VER-O-PESO/ FOTO: FERNANDO SETTE
PORTAL DA AMAZÔNIA / FOTO: DOL
ILHA DE MOSQUEIRO/ FOTO: VALEVERDE TURISMO
ILHA DE ALGODOAL/ FOTO: SITE BOIADOR 
SALINÓPOLIS/ FOTO: PREFEITURA DE SALINÓPOLIS
AJURUTEUA/ FOTO: @captain_barros
ILHA DE COTIJUBA/ FOTO: FERNANDO SETTE

ILHA DO MARAJÓ/ FOTO: FERNANDO SETTE



Por Luana Cantanhede - Estagiária 



segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Os encantos da Ilha do Marajó


Foto: Agência Pará
Se você quer praticar o ecoturismo, nada melhor do que a Ilha do Marajó, com uma vegetação típica e única, onde a principal estrela é a natureza.O acesso ao município pode ser feito por viagem aérea, com duração apenas de 17 minutos até Cachoeira do Arari, ou por via marítima, em um barco de porte grande, de dois andares, que dura 3 horas de viagem, ou pode optar pra ir em uma lancha que faz o mesmo trajeto em aproximadamente 40 minutos.A viagem é muito tranquila, com ventilação constante do rio e uma vista deslumbrante que aproxima o homem com a natureza.

Foto: Agência Pará
A ilha do Marajó, tem o maior rebanho de búfalos do planeta, reza a lenda que o animal entrou na ilha devido ao naufrágio de um navio indiano que seguia para Guiana Francesa, o navio naufragou na ilha e os búfalos sobreviveram por serem bons nadadores.

Foto: Agência Pará
A Ilha que abriga 16 municípios, cada um com suas particularidades possui uma nítida divisão de paisagens que vão se modificando com a força da água. Na Costa Leste há uma área que é dominada pelos campos inundáveis com praias de água doce que tem jeito de mar, além dos manguezais e igarapés, onde ficam as grandes fazendas com criação de búfalos desde o tempo colonial, é o símbolo da cultura Marajoara. È nesta região que fica a cidade de Soure considerada a capital da Ilha, com boa infraestrutura de lazer, hotel e restaurantes.
Há muito mais ainda, como a charmosa e pequena cidade de Salvaterra, onde é possível ver as apresentações de Carimbó, e mergulhar nas lindas praias de Joanes, onde foi a primeira cidade da ilha a ser ocupada pelos portugueses.


Foto: Agência Pará
Não muito distante de Joanes está Cachoeira do Arari, município que abriga o Museu do Marajó, um lugar simples, mas curioso que conta a história do povo Marajoara. E nada melhor depois, saborear uma das deliciosas comidas marajoara; O Frito do vaqueiro, oFilé marajoara com queijo de búfala derretido ou um peixe de água doce, finalizando com uma deliciosa sobremesa de queijo de búfala regada a doce de leite.




Por Ana Maria Rocha - Estagiária 

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

10 motivos pra visitar o Pará

Foto: divulgação




O Carimbó é uma tradicional expressão cultural do estado, é Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil. Esse ritmo quente com danças e músicas de origem indígena originou vários outros ritmos de música como a Lambada, Tecnobrega, Merengue e Guitarrada.







Pato no Tucupi, típico prato da culinária paraense, que utilizam produtos naturais, colhidos da flora e da fauna Amazônica, único em qualquer lugar do mundo. Tem uma forte influência indígina e é muito apreciado pelos visitantes.






Círio de Nazaré celebrado há 224 anos, é uma devoção à padroeira dos paraenses, e rainha da Amazônia, Nossa Senhora de Nazaré. A pequena imagem da santa foi encontrada pelo caboclo Plácido Ramos, às margens de um igarapé, onde atualmente fica a Basílica de Nossa Senhora de Nazaré, que  é uma réplica menor, da Basílica de São Paulo Extramuros, em Roma.
Foto: Luiz Braga. Acervo Iphan-PA

A imagem da Santa percorre um trajeto de 3,6km, durante esse percusso são feitas muitas homenagens a Nossa Senhora de Nazaré, causando muita emoção aos fiéis.



 Foto:diairioonline
Há também o Círio fluvial que percorre 10 milhas náuticas - equivalente a 18,5 km). Começa no trapiche de Icoaraci com destino à Escadinha do Cais do Porto, em Belém e na chegada, a Imagem de Nossa Senhora de Nazaré é recebida com honras de Chefe de Estado pela Polícia Militar.

Foto:turismo paraense

Búfalos: Você já pensou fazer um passeio montado em um búfalo? Aqui na Ilha do Marajó crianças e adultos fazem fila pra andar em cima desse dócil animal que são moradores das grandes fazendas pecuárias e que fazem parte de dois intens da culinária do Marajo: a carne de búfalo e o queijo do Marajó.


Foto:  guiaminhacidade.com

Alter do Chão: Eleita pelo britânico “The Guardian” como a praia mais bonita do Brasil, com suas areias brancas, banhadas pelas águas transparentes do rio Tapajó, .distante cerca de 30 km de Santarém, por estrada pavimentada , ou por via fluvial leva cerca de 3 horas, através do rio Tapajós.
Por suas características peculiares e seus atrativos naturais e culturais, Alter do Chão recebe atualmente um elevado número de turistas e navios de cruzeiros marítimos que demandam o rio Amazonas. 


Foto: Dol
Mercado do Ver-o-Peso:   Um dos Cartões postais de Belém, fica as margens da baía do Guajará, uma imensa feira livre que reúne centenas de barracas de frutas, comidas típicas, doces, peixes, ervas medicinais, temperos, essências, artesanato... 
O ambiente é perfeito para experimentar as exóticas frutas típicas e as delíciosas comidas regionais. 
.Foto: pitadasdegastronomia.com




Sorvetes Regionais: se você gosta de experimentar novos sabores, e conhecer um pouco mais da cultura gastronômica paraense, aproveite pra conhecer os maravilhosos sorvetes com sabores regionais, as frutas são as mais diversas como: Cupuaçu, Castanha do Pará, Acaí, Carimbó, Mestiço,  Tapioca, Bacuri, Taperebá, Muruci..







 Foto: Dol
Foto:divulgação praia do pesqueiro - soure
Açaí é uma pequena fruta arredondada, de coloração escura, que possui um pequeno caroço, é fruto do açaizeiro que pode chegar até 30 metros de altura cada tronco do açaizeiro produz até quatro cachos da fruta. O açaí é componente fundamental da dieta da população amazônica, está diretamente ligado ao aspecto cultural da região.



Praia de rio:
Aproveite para relaxar nas famosas praias de águas doce, também conhecidas como praia de rio, com cenários paradisíacos, águas calmas e cristalinas, são bem mais preservadas em comparação às praias de mar, ideais para o banho, contemplar a natureza e a prática de esportes.  Em alguns lugares, durante as épocas mais secas, bancos de areia surgem cortando essas paisagens, transformando estes destinos em verdadeiros balneários Foto:divulgação praia do pesqueiro - soure
Foto:na mira do leitor




Chuva da tarde: chegou o inverno amazônico e com ele vem vem as chuvas e o balanço das mangueiras, espalhando deliciosas mangas pela cidade. 









Por Ana Maria Rocha - Estagiária